terça-feira, 8 de maio de 2012

Verso Lapa


Era mesmo a Lapa.
Era um bêbado, uma velha e uma criança
O banco era o abrigo às 2 da manhã
Enquanto os carros parados pelos velhos hábitos
Mesmo sabendo que ali não é o seu lugar
Se levantar do sofá e sair pra olhar a noite.
Era a Lapa, cheia de vida,
Cheia de cerveja e gente de pé ao chão

Um comentário:

*Simone Poesias* disse...

Bonitos versos!
Bjinhos amigo XD