segunda-feira, 12 de setembro de 2011

(Sem título)

Que me venha você que já sabe que já é você. E sabe que as canções já foram suas e serão as suas vozes a minha.
Nem que uma lágrima eu force abaixo dos olhos para a doçura que não está em minhas palavras - a luxúria as domina.
Antes que me chame e eu olhe em teus febris olhos, toque em minha mão, me dê motivos para sorrir. Por enquanto, eu vou na secura de choros e sem amor, sem amar, sem palavras.

2 comentários:

*Simone Poesias* disse...

Que bonito, palavras cheias de sentimentos... parabéns!
Bjinhoss ;)

Bruno Gaspari disse...

Acabei de ler um escrito teu lá na Casa da Poesia e como prometi, vim conferir o teu blog. Amigo, parabéns, não só pela profundidade e paixão em tudo que tu escreve, mas também por compartilhar suas palavras nesse blog que já estou seguindo aqui fiel rs... Forte abraço!

Bruno