quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

A Volta do poeta

As palavras que ontem foram escassas hoje estão abundantes, que quase lastimam o tempo que não me serve mais. Os amores que ontem eu chorei são pequenos pedaços de laços sem nó, sem dó, pois deles só os sorrisos ficam. Hoje as mãos estão novamente unidas e partindo por essa avenida vou mostrar o que escrevi nas três linhas necessárias para dizer que escrevo por e para você, minha amada, de onde faço morada e anuncio que a temporada de amar em papel está aberta.

2 comentários:

I'm Nina, Marie, etc... disse...

Ele está de volta!
Sentimos falta da tua prosa bonita, moço!

*Simone Poesias* disse...

Lindo poema amigo. Que bom que está de volta. Já estava fazendo falta.
Feliz Natal!
Bjinhoss XD