quarta-feira, 6 de julho de 2011

Me tirou


Me tirou do anonimato aquele pedido inesperado. Luz. Nem que por uma noite, por uma semana. Me estendeu um sorriso no rosto, mas sei que haverá controvérsia, ciúmes.
Me tirou o fôlego enquanto o que lhe faltavam eram as palavras. Esmeraldina retina, retenha-me ou, se preferir, me tenha.
Me tirou pra dançar enquanto os pés eu trocava e dizia sorridente, em teu ouvido, as coisas que gosta de ouvir.
Me tirou de cena e causou um reboliço tamanho por não me conectar aos meus pares. E esse frio, em teu cobertor, é sempre verão. Me deixa tirar de você o que tem a me dar.

2 comentários:

Daíse disse...

Adorei !!!!
Daria uma bela canção !!!!
Bjo!

R2MILIOLI disse...

Obrigado! Talvez sim, precisamos de um tom e um banquinho. Precisamos da voz e de jasmim. Um abraço