quinta-feira, 21 de abril de 2011

Doce e Amargo

Falo com toda brutalidade meus pensamentos esperando sempre um sorriso que, no final, quase que rotineiramente, aparece. Deixo você sem fôlego em um desenrolar de línguas que saltam devassas de bocas insanas e fazem escândalos aos teus olhos, me morde.

Em nosso coito calado nas sombras ou à luzes que não escondem as mãos e os toques sem pudor e os suspiros cheios de tremor, cheios de voracidade e é quando para me olhando que vejo que o desejo já alavanca o meu membro, que enrijecido pede que procuremos um jeito de abrasar e degustar os nossos sexos, um ao outro e saciarmos as vontades que já não cessam mais os segredos, estes ainda precisam ser guardados.

E se pego teus cabelos, delicadamente forte, vai à loucura, desço dedilhando seu corpo, meu instrumento musical – gemidos e sussurros. Beijo teu colo e teu pescoço, entre teus seios, mordo tua nuca, marco você de arrepios prolongados. Sorri. Sorria novamente. Me dê prazer, se abra para mim, lance tuas vulnerabilidades em meu corpo, se delicie. Quebre os protocolos, jogue ao chão os preconceitos. Se agarre nas paredes, se agarre em mim, navalhe minhas costas com suas unhas afiadas no encontro de nossos falos. Suados de calor e no calor do sexo, ao ponto.

Em meio aos sorrisos deixo seu corpo sonolento e sigo minha hora, não posso deixá-la esquecer que não sou quem espera. Ainda haverão outros sorrisos, mas que não se acostume com eles, um dia lhe farei chorar. Sempre faço isso – eu sei que choram escondidas nos banheiros – mas o faço bem, com toda doçura que precisam.

7 comentários:

I'm Nina, Marie, etc... disse...

Isso me lembra um monte de situações... e ao mesmo tempo que é maravilhoso, é infernal...
Enfim... nem vou dizer o quanto gostei desse teu texto...

Lana disse...

familiar...muito familiar...rs...

Dani Isaquiel disse...

picante
adorei

danilo disse...

Ótimo texto para ler na Sexta-feira da Paixão. rsrsr...zuei.
Amei esse texto cheio de tesão e luxúria, arrepiante!

Tatih disse...

Tá né... acho uma idéia o lembrete de 18 anos... rsrs
Vou finalizar o outro amanhã, tá nesse pique.

Este seu ficou muito foda! Beijos

I'm Nina, Marie, etc... disse...

"Aquele gosto amargo do teu corpo
Ficou na minha boca por mais tempo.
De amargo, então salgado ficou doce,
Assim que o teu cheiro forte e lento
Fez casa nos meus braços e ainda leve,
Forte, cego e tenso, fez saber
Que ainda era muito e muito pouco."

Lembrei dessa música... :)

Luciah López disse...

É uma situação real - pena é ter esse choro escondido. Uma belíssima leitura. Gostei muito.

LL